Raw food: mais uma opção para adicionar à sua dieta

Tornou-Se moda há alguns anos, em parte graças ao entusiasmo e apoio público de várias celebridades, e, desde então, tem cada vez mais seguidores. Raw food é mais do que ingerir alimentos crus, contamos-lhe do que se trata e como você pode aproveitar esta dieta para fazer a sua casa mais saudável.
Raw food: em que consiste?
Este movimento consiste principalmente em comer alimentos crus, ou seja, nunca aquecidos acima de 42ºC, e em sua forma mais natural possível, nem refinados ou processados, livres de conservantes e de preferência orgânicos.
Esta particularidade, em conjunto com a filosofia de vida dos seus praticantes, há que se considerar uma alimentação vegan cru, que não inclui alimentos de origem animal. Baseia-Se sobretudo em frutas, vegetais, algas, frutos secos, germinados e sementes. Comer carne ou peixe crus normalmente, não é simples nem muito recomendável.
Também é importante prestar atenção ao momento da refeição, de forma semelhante ao que fazemos com o mindfulness no nosso dia-a-dia, para sermos conscientes de sua função e da intenção de nutrir-nos a cada mordida.
Fundamentos e possíveis benefícios
A principal razão para ingerir alimentos crus é que o calentarlos perdem grande parte dos nutrientes sensíveis ao calor, como a Vitamina C. Por outro lado, o cozimento elimina as enzimas que ajudam a digerir os alimentos, embora nosso corpo também produz e temos mais formas de cuidar da nossa flora intestinal.
A dieta Raw food é uma boa forma de garantir que as 5 peças de fruta e legumes por dia que recomendam os especialistas em nutrição, com todas as suas vitaminas, minerais e fibras, mas não podemos esquecer que há alguns nutrientes, como o licopeno do tomate, que aumentam o seu potencial com o cozimento.
Também não é imprescindível comer tudo cru, mas acrescentar à nossa alimentação o máximo possível de frutas e vegetais frescos e sem cozinhar pode melhorá-la consideravelmente.
Será que é tão difícil como parece?

Quando lemos Raw food ou comida crua é normal que nos soe a alimentação complicada, mas, na realidade, a estamos praticando muito mais frequentemente do que nós pensamos, especialmente no verão, cada vez que comemos uma salada composta apenas por vegetais crus ou nos bebemos um refrescante gazpacho.
Os smoothies, que são preparados com água, folhas verdes e frutas são um bom exemplo de comida crua saudável e delicioso, mesmo ao fazer um simples suco de laranja estamos praticando Raw food, e, claro está, também quando escolhemos a opção mais saudável de todas, comer as peças de frutas inteiras.
Com o fim de facilitar a variedade na dieta são utilizados processos como germinação (é assim que se comem legumes), a fermentação, a maceração com limão ou a desidratação. Para adoçar podemos usar tâmaras ou fruta desidratada e para apimentar preparações como o pesto, a mostarda, o molho de rábano picante ou o tapenade de azeitonas.
A alimentação vegan cru inclui bebidas vegetais, queijos feitos à base de castanha de caju e uma infinidade de receitas incríveis que custa imaginar que não são necessário cozinhar nem ingredientes extra.
Precauções a ter em conta
Dentro de uma dieta vegan cru um bom planejamento é imprescindível para evitar possíveis carências, prestando uma atenção especial em que a ingestão de proteínas seja suficiente. Também é muito importante lavar com água abundante e conservar adequadamente os alimentos que vamos consumir crus para evitar a ingestão de bactérias como a E. coli.
As pessoas muito jovens, os idosos ou aqueles que têm problemas digestivos, devem consultar o médico antes de passar para o Raw food. Os frutos secos crus podem causar intolerâncias ou dor de estômago, por isso é aconselhável ir introduzindo a sua incorporação na dieta pouco a pouco.
Em geral, como em qualquer outra dieta, é muito importante a variedade para garantizarnos o maior número de vitaminas, nutrientes e minerais possível, se seguimos o 100% como se combiná-lo com outro tipo de refeições.
Fotos | iStock / Antonio Diaz / egal