Salmonelosis

Informações sobre Salmonelosis, causas, tipos, métodos de prevenção e principais sintomas, além de outras informações importantes.

O que é Salmonelosis?

A salmonelose é um tipo de intoxicação alimentar causada pela bactéria salmonella (bactérias que normalmente vivem no intestino de animais e humanos e se espantam através das fezes). Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) são os répteis, juntamente com os pássaros, os portadores principais.
A OMS aponta que a salmonelose é: “uma das doenças de transmissão alimentar mais comuns e amplamente estendidas”. Acrescenta ainda que: “a maioria dos casos de salmonelose são leves, mas, em alguns casos, a doença pode causar a morte”.

Quais os sintomas da Salmonelosis?

Segundo a OMS, na maioria dos casos, a bactéria que causa infecção intestinal sem exceder o resto de mecanismos defensivos do organismo.
Os sintomas são relativamente leves e os pacientes se recuperam sem tratamento específico. No entanto, em alguns casos, particularmente em crianças pequenas e idosos, a desidratação causada pela doença pode ser grave e pôr em perigo a vida.
Os sintomas podem começar entre 6 e 72 horas após a ingestão de Salmonella. Habitualmente, a doença dura entre 2 e 7 dias.
E os sintomas podem ser:
Cólicas.
Sensibilidade ou dor abdominal.
Calafrios.
Diarreia.
Febre.
Dor muscular.
Náuseas.
Vômitos.
Entre as recomendações dadas pelos especialistas para aliviar os sintomas destacam-se:
Beber abundantes líquidos para que o corpo está protegido contra a desidratação.
Ingerir comidas pouco abundantes, e isentas de gordura.
Repouso.

Quais as causas da Salmonelosis?

Qualquer alimento pode estar infectado pela bactéria salmonella, se é manipulado por uma pessoa infectada com as mãos sujas ou quando o alimento entra em contato com outros que estão contaminados, é o que se denomina como “contaminação cruzada”.
Geralmente a maioria das pessoas é infectada por comer alimentos que foram contaminados.
Por se tratar de uma infecção intestinal, a bactéria também é encontrada nas fezes de pessoas infectadas, por isso a higiene pessoal cobra especial relevância durante e depois de passar a doença, já que o não lavar as mãos depois de ir ao banheiro e manipular alimentos pode ser a origem de infecções em outras pessoas.
Dado que as altas temperaturas favorecem o crescimento e desenvolvimento destes microrganismos, a maioria dos casos costumam ocorrer no verão.

Como se prevenir da Salmonelosis?

A OMS aconselha o controle em todas as etapas da cadeia alimentar, desde a produção agrícola até a elaboração, fabricação e preparação de alimentos, tanto em estabelecimentos comerciais como nos lares.
Em residências, a prevenção começa com um bom armazenamento dos alimentos e continua com aspectos como lavar as mãos antes de cozinhar e usar luvas ao manipular os excrementos dos animais domésticos.

De acordo com os especialistas, os sintomas são relativamente leves e os pacientes se recuperam sem tratamento específico.

Tipos de Salmonelosis

Até o presente momento foram identificadas mais de 2.500 variedades diferentes (isolados ou variações séricas) de Salmonella spp.
“A Salmonella é uma bactéria ubíqua e resistente que pode sobreviver por várias semanas em um ambiente seco e vários meses na água”, assinalam a partir da OMS, que acrescentou que, além disso, a “salmonella enteritidis e salmonella typhimurium são os dois critérios mais importantes de salmonelose transmitido a partir de animais para seres humanos na maior parte do mundo”.

O diagnóstico da Salmonelosis

O perigo da doença depende de fatores próprios do hospedeiro e da cepa de salmonella em questão.
Para confirmar a intoxicação por salmonela pode realizar o cultivo de uma amostra de fezes do indivíduo.
Uma vez que a doença foi detectada, podem ser realizados mais testes para que possa ser avaliado e determinar que tipo de tratamento é o mais adequado.
Pode ser também uma análise de sangue completo e uma ultra-sonografia do abdômen, para descartar qualquer outra patologia.

Quais os tratamentos para Salmonelosis?

A Fundação Espanhola do Aparelho Digestivo (FEAD) explica que: “na maioria das vezes, se autolimita-se espontaneamente, sem necessidade de tratamento. Em caso de agravamento, deve ser tratado em um hospital”.
A OMS, por sua parte, afirma que, em casos graves, o tratamento é sintomático e consiste na reposição de eletrólitos perdidos na sequência de vómitos e diarreia (mediante o fornecimento, por exemplo, de íons de sódio, potássio e cloreto) e a reidratação.
Acrescenta ainda que: “a terapia antimicrobiana sistemática não é recomendada para casos leves ou moderados em pessoas saudáveis. Isto se deve a que os antimicrobianos podem não eliminar totalmente a bactéria e selecionar cepas resistentes, com o qual o fármaco se tornaria ineficaz”. Explica também que: os grupos de risco, especialmente crianças, os idosos e os imuno-comprometidos, podem necessitar de um tratamento antimicrobiano.

Mais informações sobre Salmonelosis

Qualquer pessoa pode contrair salmonelose. Os mais vulneráveis são as crianças menores de 5 anos, idosos e qualquer pessoa que tenha as defesas baixas, como podem ser os que realizam tratamentos para curar o câncer ou tratar o HIV.
O que acontece se eu estou grávida?
A Fundação Espanhola do Aparelho Digestivo aconselhados a consultar o seu médico de cuidados primários ou parteira. Segundo a fundação, a maioria das grávidas não precisam de tratamento, mas podem precisar se ocorrer um agravamento e está próximo o parto.
Recomendações
A OMS oferece algumas recomendações como:
Certificar-se de que os alimentos estejam devidamente cozidas e ainda quentes ao servi-los.

Evitar o leite cru e os produtos elaborados com ela é, de preferência, beber apenas pasteurizado ou fervido.

Tanto os manipuladores de alimentos profissionais e familiares devem notificar imediatamente a seus empregados todo episódio de febre, diarreia ou vómito.

Proteger os campos de contaminação fecal por animais.
Manter a temperatura do frigorífico abaixo de 4,4 ° C e o freezer abaixo de -18ºC.
Notícias sobre salmonelose:
Como prevenir as intoxicações alimentares
Tudo o que você precisa saber para colocar a geladeira
O que fazer diante de uma intoxicação alimentar