Sete remédios para evitar a sensibilidade dental neste verão

Embora possa aparecer em qualquer momento, o certo é que, no verão, a probabilidade de sofrer de sensibilidade dental é mais alta pela necessidade que sentimos de bebidas e alimentos frios para aplacar o calor. Os sorvetes, os granizados e as bebidas com gelo podem provocarnos dores agudas e intensos por o contato da dentina, a área interna dos dentes, com esses estímulos externos (bebidas ou alimentos frios, mas também ácidos, quentes, doces, etc.).
Esta sensação se dá quando há uma perda de esmalte dental, que exerce como escudo protetor, ou uma retração da gengiva e a raiz do dente fica exposta, permitindo que esses estímulos externos atinja as terminações nervosas e originados desse dor aguda e intensa.
Isso Significa que, diante das altas temperaturas, a meio da manhã, na praia ou em um terraço à noite com os amigos, teremos que privar-nos de bebidas ou alimentos bem fresquitos? Não necessariamente, se bem que convém tomar uma série de precauções para combater essa moléstia tão comum.
O que podemos fazer para evitar a sensibilidade dental?
Em primeiro lugar, há que seguir bons hábitos de higiene bucal, tendo em conta que uma escovagem demasiado agressivo pode favorecer a ocorrência de sensibilidade dental, por isso é recomendável realizar uma técnica de escovação adequada, que não danifique nem o esmalte do dente ou na gengiva. O uso de escovas de filamentos macios, com extremos arredondados e superfície lisa, também ajudá-lo a efectuar uma limpeza delicada, sem danificar o esmalte nem as gengivas. Seu cirurgião-dentista e/ou higienista de confiança, te ensinarão a melhor técnica de escovação que você deve fazer quando se cepilles os dentes.
Aconselha-Se o uso de produtos específicos para tratamento da sensibilidade dental, como pastas dentífricas e colutorios não abrasivos que formam uma camada protetora sobre o esmalte, evitando esse problema.
Se você tomar bebidas ou alimentos frios, esperar alguns minutos antes de ingerimos a partir para que percam o frio intenso do refrigerador.
Evitar bebidas e alimentos muito ácidos (sumos, vinho, molhos ou bebidas sem álcool), que podem desgastar o esmalte e deixar a dentina exposta.
No caso de apertar e/ou ranger os dentes, ir ao dentista para tratar o bruxismo, que faz com que nossos dentes se deteriorem e estejam mais sensíveis.
Abandonar maus hábitos, como podem ser a ponta das unhas, comer sementes ou usar palitos de dentes.
Lembrar que o cloro das piscinas pode afetar a saúde oral, já que é um elemento agressivo, que provoca erosão e descoloração do dente, fatores que provocam um aumento da sensibilidade dentária.

Tratamentos e soluções para a sensibilidade dentária
Se seguir essas dicas da sensibilidade dental não remete, convém consultar o dentista. Deve tratar-se, pois, de não fazer, podem aparecer doenças periodontais, cáries e sintomas de outras patologias relacionadas com a saúde da boca.
Há uma grande variedade de tratamentos para a sensibilidade dentária, que variam em função do paciente. Vão desde os produtos que podemos adquirir em farmácias ou grandes superfícies, até aqueles que se aplicam em uma clínica odontológica da mão de profissionais qualificados. Estes produtos se diferenciam no percentual de composição química (nitrato de potássio e flúor) e é aconselhável que seja o cirurgião-dentista que decida qual tratamento utilizar, dependendo do paciente.
Na maioria dos casos, a sensibilidade dentária é geralmente moderada, por não ocorrer um dano significativo no dente ou gengiva e os efeitos do tratamento começam a perceber os 10-15 dias de iniciado. São pouco comuns os casos em que a sensibilidade dental desemboca em um problema maior e requer uma cirurgia.
Não obstante, em um ou outro caso, é essencial que aqueles que sofrem de sensibilidade dental consultar um profissional qualificado antes de se submeter a qualquer tratamento.