Síndrome das pernas inquietas

Há enfermidades que nos chamam a atenção, doenças que nos parecem estranhas e que ocorrem com relativa freqüência em nossa sociedade. Esse é o caso da síndrome de pernas inquietas. Contamos-lhe mais coisas sobre esta síndrome em nosso blog de saúde.
Como eu disse, é um problema relativamente freqüente, já que estima-se que 10% da população portuguesa sofre desta síndrome das pernas inquietas. O problema é bem simples: o afetado por esta síndrome, sente uma necessidade de mover as pernas. Tem dificuldade em dormir ou estar sentado em um par de horas, já que você precisa mover as pernas. Essa necessidade costuma aparecer no final do dia, depois de horas de trabalho, quando o paciente está mais cansado. O diagnóstico é complicado e não é nada claro. Pode ocorrer insônia, o que devemos tomar como um alerta do nosso organismo.
O principal transtorno que está relacionado com a síndrome das pernas inquietas, é neurológico. São sensações que podem chegar a doer. Você pode sentir frio, calor, formigamento, irritabilidade, … São situações incómodas para o que as sofre, que podem chegar a ser até desagradáveis. Às vezes, a síndrome das pernas inquietas pode gerar uma depressão. Não há uma idade estipulada para os pacientes desta síndrome, mas costuma aparecer em pessoas de 40 anos.
A síndrome das pernas inquietas não tem causas definidas, o que poderíamos englobarlo dentro de doenças misteriosas. Parece que tem origem ereditario ou que avisa de outra doença. O principal problema surge quando se está em repouso, que se agravian os sintomas e a necessidade de mover as pernas.