Utiliza o método POSE para correr mais e melhor

O atletismo é o esporte da moda entre pessoas de todas as idades e de qualquer condição social. Pode ser que seja por sua simplicidade, porque não há falta muita equipamentos ou porque realmente se trata de um esporte de superação e luta contra si mesmo é real e vive-se dia após dia e a cada corrida. O fato é que a cada dia são mais os que se decidem a calçar os tênis e sair para correr alguns quilômetros de parques e praças das cidades, ainda há corajosos que se atrevem a desafiar a montanha.
Mas cuidado, porque correr não é “só” correr. Podemos pensar que todo mundo sabe correr, ao fim e ao cabo é um dos movimentos mais básicos do ser humano e costumamos usá-lo em nosso dia-a-dia (embora seja mais para esprintar, como quando corremos para não perder o autocarro, que para correr longas distâncias). Mas há uma grande diferença entre “correr” e “correr bem”: a técnica de corrida. Esta técnica, que podemos aprender e melhorar com o tempo, vai nos ajudar a maximizar os resultados de nossos treinamentos, a ser corredores mais eficientes e, portanto, a correr mais, melhor e mais rápido. Quer aprender a correr com uma técnica correta? Então te interessa conhecer o método POSE.

O que é o método POSE?
O método POSE é uma técnica de corrida que vem sendo usado desde há muito tempo: foi desenvolvido pelo dr. Nicholas Romanov, no início da década de 1970, para cobrir a necessidade de se dispor de um modelo único para ensinar a técnica de corrida e o movimento. Desde então, foram muitos os atletas que optaram por este método para treinar e competir, sendo um dos mais célebres, o corredor etíope Haile Gebrselassie, especialista em corridas de fundo, vencedor do prêmio Príncipe de Astúrias do esporte em 2011 e recordista mundial de maratona.
O método POSE promete economizar a energia do atleta na corrida, aproveitando a força da gravidade para dar a passada. A grandes traços, o método POSE sugere-nos dar um passo mais pequena de forma que o nosso pé cair sobre o centro de gravidade, por baixo de nossa quadril (com passadas mais longas a pé costuma cair pela frente do centro de gravidade). Deste modo, o impacto com o calcanhar é mais curto, a desaceleração que sofremos nesta fase da pisada é mais leve e economizam energia, mantendo a aceleração.
As três fases do método POSE

O método POSE consiste de três fases ou figuras que podemos praticar para chegar a um bom domínio da técnica. A primeira figura ou “POSE” é a origem de todo o movimento: nós ficamos com um pé no ar, perto de nosso centro de gravidade, enquanto que o pé que fica apoiado no chão, mantém o equilíbrio de todo o corpo. Figura Esta que requer uma boa força muscular (lembre-se que o treino de força nos corredores do trem inferior, é fundamental para obter uma boa técnica de corrida), uma boa mobilidade das articulações e uma boa estabilidade através de um núcleo ou área média forte.
Na segunda posição ou “queda”, o pé, que antes estava no ar passa a se apoiar no chão, por baixo de nossa quadril: este é o momento em que transformamos a força vertical (o pé do ar passa para o chão por uma força horizontal que nos impulsiona para a frente. Devemos manter o tronco ereto, para obter um bom equilíbrio e estabilidade, sem inclinarnos para a frente: os ombros devem ficar alinhados com o quadril e os pés. Uma inclinação de tronco excessiva nos faria perder o equilíbrio e a aceleração.
Na terceira posição, ou “puxar” nós temos que voltar para a posição inicial ou “POSE” que tínhamos no início. Para obtê-lo, devemos puxar o pé que acabou de decolar do chão para colocá-lo perto de nosso centro de gravidade de novo. Este movimento implica um bom trabalho de força, a elasticidade muscular e também de coordenação neuromuscular.
Uma vez que temos de volta para a posição de “POSE”, volta a repetir todo o ciclo de pedalada, conseguindo desta forma uma corrida eficiente, rápida e fluida.