Varizes: como eliminálos?

Em Muito Saudável já falamos sobre o que são as varizes e como podemos evitá-las, hoje também contaremos as diferentes opções disponíveis quando o que precisamos é eliminá-las e reduzir as suas queixas.
Primeiro passo: ir ao especialista
Este não é o que podemos saltar, mesmo que cada vez há mais estabelecimentos não especializados que abordam o tema das varizes como um problema estético, a realidade é que também afetam nossa saúde e são o primeiro indicador de insuficiência venosa crônica. Um mau tratamento pode nos trazer muitas complicações adicionais.
Se estamos entre os 2.500.000 de pessoas que se estima que em Portugal têm varizes e sofremos desconforto como tristeza, dor, cansaço, edemas ou pigmentação, devemos recorrer a um especialista em Angiología e Cirurgia Vascular, precisamente, um Flebólogo.
A Flebologia é uma sub da Angiología e Cirurgia Vascular, que se ocupa das doenças venosas e entre elas as varizes, por isso que as pessoas com esta titulação são as mais indicadas para avaliar como estamos e o que precisamos de soluções.
Tipos de tratamento para eliminar as varizes

Dependendo da gravidade das varizes, o flebólogo pode nos indicar uma das seguintes opções:
Esta técnica respeita é a versão melhorada da escleroterapia de sempre. Antes se injeta um líquido se para eliminar os vasos venosos doentes, mas ao se diluir rapidamente só era eficaz com varizes pequenas. Atualmente é injetado esta técnica respeita, capaz de eliminar varizes de todos os tamanhos, até mesmo aquelas que não são operados. Este procedimento terapêutico é indolor e ambulatório, o que não interrompe a nossa actividade diária.
Cirurgia a laser: É a alternativa mais adequada para varizes, que não sejam de grande tamanho ou aranhas vasculares. É confortável (é feito no próprio consultório médico) e pouco invasivo, já que geralmente só aparece um leve hematoma na zona tratada.
O procedimento de remoção de varizes a laser, quando é utilizado para varizes é feito com anestesia geral e consiste em introduzir um cateter especial na veia, através do qual você envia uma energia de radiofrequência para a parede da veia, até que esta se contrai e se fecha. No caso das aranhas vasculares a laser é aplicado diretamente sobre a pele e não é necessário fazer nenhuma incisão.
Duas possíveis riscos desses processos são o sangramento e a congestão de sangue, mas não são complicações comuns, e algumas vezes é necessário realizar um tratamento adicional a respeito. Uma razão a mais, de peso, para recorrer ao especialista adequado.
Flebectomía ou segmentação: esta intervenção é usado principalmente quando as varizes são muito grandes e/ou problemáticas, embora cada vez com mais freqüência, é substituída pela escleroterapia, graças à eficácia a esta técnica respeita.
Consiste, a grandes traços, a arrancar e extrair com agulhas das varizes através das incisões. Requer hospitalização (dois ou três dias), um par de semanas de repouso absoluto e, pelo menos, um mês de baixa de trabalho. A intervenção se pratica com anestesia local, peridural ou geral.
Técnica CHIVA (Cura Hemodinâmica da Insuficiência Venosa Ambulatorial): Ao contrário do que flebectomía, esta técnica não procura arrancar as varizes, mas que tenta preservar ao máximo as veias, para que continuem fazendo sua função de drenagem. Identificam-Se os pontos que originam as varizes através de ecodopler e se age apenas sobre os mesmos, pelo que se considera uma cirurgia minimamente invasiva. Mas é recomendável caminhar nada mais sair do centro cirúrgico, o tempo de baixa dependerá do tipo de varizes e o número de incisões que são precisou.
Em relação ao pós-operatório se refere, deve ser o flebólogo que nos indique também qual o procedimento que devemos seguir após o tratamento, como ser prudente e em que momento devemos voltar à consulta para revisão.